O Amor como Droga !!!


Codependência é o termo cientifico usado para este fenômeno, o amor quando causa dependência, sofrimento, angústia, entre muitos outros sentimentos que podemos carregar com esta dependência.

Como sempre tenho feito, vou passar-lhes minha visão sobre este assunto, pois é assim, debatendo e dissertando sobre o mesmo que poderemos aprender, entender e controlar essa mistura de sentimentos incubados que acabam por nos prejudicar.

Quantos de nós não vivemos ou testemunhamos um amor dependente, destes que machuca e causa tanto sofrimento, pois bem, vejo como ferramenta para combatermos esse sofrimento, a Confiança. Sim, a confiança, em nós, no amor e no respeito, no parceiro (a), em tudo que nos garante que mesmo tendo o nosso espaço, tendo nossa individualidade e nossos momentos sozinhos, a vida a dois jamais será alterada ou perdida.

Vejo em todos os relacionamentos, ou em sua grande maioria, desenvolvermos o sentimento de posse, é do ser humano o pré-valor de que quando temos um relacionamento, temos o poder de controlar a vida do outro e o dever de viver para o outro, esse é o principal erro, o relacionamento (em qualquer categoria) deve somar e não dividir, nos relacionamos com pessoas as quais nos trazem algo que necessitamos e valorizamos, isso é uma soma, termos a nossa vida, o nosso espaço e ainda somarmos a isso, os benefícios do outro.

Alterar esta metodologia é iniciar o término da relação, pois a partir do momento que tentamos mudar o outro, estamos alterando a matéria prima que nos soma e faz crescer.

Sim, a codependência causa a necessidade de mudarmos o outro, pois necessitamos do outro e essa necessidade nos traz a ilusão de que a exclusividade é a única maneira de continuarmos abastecidos e saciados, sem perceber que é exatamente a exclusividade que causa a eliminação, tal qual um riacho que só nós mergulhamos e que fica sem oxigênio com a nossa própria produção de poluentes.

Amar é confiar, a liberdade fortalece o elo, pois traz saudade, distancia e confiança, que são os verdadeiros motores de uma verdadeira relação.

Vamos refletir a respeito.

CaeGomes

Comentários

  1. Poxa Cae, disse tudo.
    Já tive uma relação frustrada por isso. Não por dependência minha, mas do outro, e confesso que eu não soube administrar isso.
    Não por covardia, mas pq gostava da pessoa demais para aceitá-la dessa forma.
    Ótimo post.

    ResponderExcluir
  2. Ley, pelo que tenho acompanhado no seu blog, vc é uma pessoa com muito dissernimento e perspicácia e além disso ja passou por isso também e sabe que nos dias de hj infelizmente a maioria dos relacionamentos tem como base a codependência, as pessoas acham que se tornam donas do parceiro a partir do momento que aceitam aquela pessoa como seu parceiro e isso é errado.
    Hoje mesmo estava brigando com um amigo por conta de estar hj vivenciando um momento de conflito entre o ego, a codependência e a vontade contrária da parceira.
    Obrigado pela visita e por ter gostado do post.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A Sutileza das lições da vida

O outro lado da moeda

Suas ações comprovam?