Pra inglês ver?



Porque será que hoje as pessoas se preocupam tanto com o pensamento e conceito dos outros indivíduos a respeito delas? Hoje noto que as pessoas estão criando uma dupla personalidade, que podemos definir como real, a qual ela vive, erra, acerta, despida de pré-conceitos e pré-valores e a outra que se opõe a esta real, a "personalidade rede social", que expressa exatamente o que as outras pessoas querem ver, ouvir e saber.

Tenho visto muitas vezes, situações as quais a pessoa se expressa de uma maneira nas redes sociais, enquanto a realidade é totalmente divergente do que foi expresso, e a troco de que? Com qual objetivo? Ser aceito pela sociedade, por um determinado grupo social, pelo meio a qual esta inserida?

Uma mãe que não tem paciência com o filho, sempre brigando e até de certa forma maltratando o pequeno garoto, posta nas redes sociais que o filho é seu bem mais precioso e que o ama profundamente, divergindo a realidade da rede social. Tal atitude, muitas vezes involuntária e impensada, é reflexo da necessidade de aceitação do ser humano somado ao senso comum, que padroniza e julga à sua maneira, única e até muitas vezes cruel.

Não devemos buscar a aceitação do meio a qual estamos inseridos, nos tornando o que o meio espera de nós, mas sim devemos ser aceitos por agirmos e nos postarmos de maneira correta, sendo educados, respeitosos, com valores corretos e idéias e opiniões bem formuladas, embasadas e conceituadas. A verdadeira educação hoje me parece desvalorizada e enfraquecida pelo senso comum, os bons costumes se tornaram obsoletos e a futilidade vem se tornando cada dia mais ativa.

Sempre que posso eu leio o blog de uma amiga chamado “Que palpite infeliz”, ela escreve muito bem e possui uma visão bastante ampla e singular, ela criou um post que trata esse tema, na verdade uma vertente especifica deste tema, o post intitulado como “Quanto mais vazia carroça” (http://que-palpite-infeliz.blogspot.com/2010/08/quanto-mais-vazia-carroca.html), fala que hoje em dia as pessoas costumam falar muito alto para serem ouvidas ou notadas, mas que não necessariamente são falas que merecem ser ouvidas, fazendo uma alusão à uma carroça que quanto mais vazia, mas sonora se torna por não ter conteúdo.

Pois é, conteúdo, hoje é muito difícil cultivar esse valor, independente de que assunto esteja debatendo com outra pessoa, procure perguntar o porquê dela expressar aquela determinada opinião e repare quantas pessoas irão conseguir fundamentar a opinião plausivelmente, pergunte a si mesmo, quando se pegar navegando nas profundezas de sua consciência, surpreenda-se com o novo ou até mesmo com a falta de argumentos para fundamentar uma determinada idéia e busque sempre a evolução, não porque quer ser aceito, mas sim porque é evoluindo que conseguimos ampliar nossa visão e nos separarmos do senso comum.

Devemos buscar a verdade dentro de nós, acreditarmos que nossa verdade nos molda e nos leva na direção correta, mas que ela não é absoluta, para que deixemos para trás as diretrizes impostas pelo senso comum, que não nos levam adiante e nem devem ser valorizadas por nós, porque fazer algo que não nos agrada ou agrega, somente porque é o que se espera que façamos? E o mais importante, agindo assim, aonde isso irá nos levar?

A resposta sempre esta dentro de nós, dentro de cada um de nós, de maneira singular, sem receita nem guia ou instruções a serem seguidas, pois seguir instruções, mesmo que impostas subliminarmente, é agir de acordo com o senso comum.
Poderia citar diversos exemplos de diferenças entre as personalidades identificadas acima, mas prefiro como sempre terminar com reflexão, introspectiva e valiosa, será que você tem essas duas personalidades? Será que em determinados momentos ou situações específicas, você permite que elas existam conjuntamente? A sua verdade está dentro de você, encontre-a!

CaeGomes

Comentários

  1. Pura verdade.
    A realidade é que hoje em dia as pessoas estão cada vez mais solitárias e egoístas.

    Tem 1.000 amigos virtuais e nenhum real.
    Cobram amizade e não dão amizade... não tem 10 minutos a perder conversando com um amigo, perguntando se o mesmo está bem. Só sabe se expor e falar da propria vida... que na maioria daz vezes não tem nada de notável pra ser revelado.

    Bjs, Elaine.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A Sutileza das lições da vida

O outro lado da moeda

Suas ações comprovam?