A sabedoria de viver em sociedade




A sabedoria de viver em sociedade não é “praticada” por todos os indivíduos nela inserida nos dias de hoje e isso infelizmente é uma CONSTATAÇÃO!

Fui criado em tempos não tão distantes, mas que a julgar pela diferença nas criações dos dias de hoje, me parecem tempos tão longínquos e saudosos. Aprendi a respeitar os mais velhos, usar um linguajar adequado ao ambiente onde me encontro inserido, avançar até onde a minha liberdade permita, sabendo que ela esta limitada ao inicio da liberdade do próximo, enfim, aprendi valores que nos dias atuais parecem histórias de pescadores, histórias fictícias que os avós contam aos seus netos com a intenção de limitá-los em uma região onde eles estão aptos entender as lições proporcionadas pela vida.

Olha o meu saudosismo me dominando, avós passando lições “subliminares” aos seus netos, os Pais de hoje não ensinam, quem dirá os avós, esses valores estão adormecidos em um profundo limbo social coberto por uma falta de educação e respeito mascarados pela “liberdade”.

As pessoas não possuem os verdadeiros valores exigidos para uma boa convivência em sociedade e este fator acarreta em uma sociedade pobre de espírito, uma sociedade pífia, que não anseia um cenário melhor, que se contenta em ganhar o peixe ao invés de aprender a pescar, que vivem de frases prontas em redes sociais, frases que não traduzem a realidade nem tampouco a sabedoria e estado de espírito e que não observam os reais problemas que assolam a sociedade.

Filas e assentos preferenciais em locais públicos, campanhas de conscientização de prioridades, campanhas de conscientização de preservação, comunicados que zelam pela postura em ambientes profissionais, bem como muitas outras coisas que se tornaram comum nos dias de hoje, não deveriam existir, esses valores são reais e se perderam em algum momento no tempo e espaço inconstante dos dias atuais.

Não vivemos sozinhos, temos a obrigação de respeitar o próximo, de respeitar o ambiente onde nos encontramos e utilizar de linguajar e postura adequados ao meio que nos encontramos, principalmente no ambiente de trabalho, devemos sim manter nossa índole e nossa originalidade, desde que se aplique ao ambiente, pois é plenamente possível viver em sociedade, sem falsidade e sem perder a identidade respeitando as leis sociais intrínsecas e subliminares que sempre estarão presentes para aqueles que desejarem vê-las.

Para aqueles que leram o texto e observaram que a loucura dominou a lucides, uma citação: Todo texto traz em seu conteúdo pistas que devem ser seguidas para que sejam revelados os implícitos. Nossa vida cotidiana também é um texto cheio de implícitos e há situações que se revelam como perfeitas pistas para a construção dos sentidos das coisas. Espero não ser analfabeto. by Edson Correia

Se você que me lê, acredita que a loucura dominou a lucides, leia novamente e reflita um pouco sobre o mesmo.

Caso tenha encontrado a lucides no meio de tanta loucura, reflita sobre o que cada um de nós pode e deve fazer para que mudemos esse cenário, se julgar que o mesmo deve realmente ser alterado e se julga que essa responsabilidade é de cada um, afinal de contas, que diferença faz, eu jogar a minha bituca de cigarro no chão, se estou em um mundo de trilhões de pessoas? Claro, não é minha responsabilidade se esse mesmo trilhão pensar como eu penso, afinal de contas, sou apenas um individuo em uma sociedade e não totalizo a mesma!

Apenas como informação, o exemplo acima é extremamente exemplificativo, não fumo e não tenho nada contra quem o faz.


CaeGomes

Comentários

  1. Confesso que viajeii na tua história,chocante e extraordináriaaaa...,SHow!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Suas ações comprovam?

Aliada ou Inimiga?

É especial o que considera especial?