Você Aceita?

 

Domingo assistindo a uma reportagem sobre o discurso emocionado de uma menina sobre o racismo em um evento da ONU, repensei sobre meu ceticismo quanto à humanidade, o bem e o mal caminham juntos e o equilíbrio deveria prevalecer, mas hoje vemos mais demonstrações de maldade do homem do que o contrário, por isso escrevo agora sobre racismo e preconceito por outra ótica.

A principal característica do racismo e do preconceito é a superioridade, aquele que pratica acredita que é superior àquele que sofre, acredita que é mais evoluído, mais inteligente ou simplesmente que é correto e normal sendo o oposto anormal e errado, este é o ponto de vista e ponto de vista não é razão mas sim uma das muitas maneiras de enxergar algo, a maneira que eu quero abordar o racismo e o preconceito é sobre a aceitação das acusações por parte do acusado, a aceitação da opressão por parte do oprimido, a aceitação da rejeição por parte do rejeitado.

Certa vez, o ator norte-americano Morgan Freeman em um programa de televisão local, ao ser perguntado como ele acreditava que o racismo poderia ser combatido e eliminado, respondeu que bastava parar de falar dele, pois ao falar você o fortalece, fortalece sua crença, não se fala sobre o que não acredita, o que não se acredita não existe e o que não existe não se aceita e não tem força, deixa de existir, um ponto de vista muito interessante mas que depende totalmente da aceitação.

Ao sofrer racismo de qualquer que seja o gênero, aquele que sofreu precisa acreditar nas ofensas para senti-las em seu coração, precisa acreditar que ser diferente é errado, que a adversidade é fora do comum, precisa acreditar que é inferior, que é anormal, menos favorecido, acreditando assim que o racista, preconceituoso, tem razão, mas onde esta o autoconhecimento? onde estão os valores reais daquele que sofre com isso?

Não é uma transferência de responsabilidade, não é uma afirmação de que a culpa de um ato de racismo é daquele que o sofreu por acreditar e não do racista que proferiu as palavras e apontou o dedo, é apenas uma ótica diferente, não aceitar aquilo que não acredita, não se sentir ofendido, não se sentir vitimado, não por não achar errado o racismo, mas sim por acreditar e priorizar os seus valores, porque é o capitão de sua alma e o senhor do seu destino, porque não se permite atingir por valores que não condizem com os seus.

O discurso da menina americana no evento da ONU nos Estados Unidos descrevia uma imensa dor por perder o pai em uma morte alegada como motivação racista, certamente neste caso você pode imaginar que está ótica da aceitação não tem fundamentos, no caso de um crime o mesmo provavelmente aconteceria com ou sem aceitação, mas o ambiente em que o crime aconteceu seria o mesmo se a não aceitação fosse praticada normalmente?

Cada um esta inserido em um contexto, cada um tem o seu valor e sua crença, as respostas estão sempre em seu coração, aceitar ou não tudo que diverge dos seus valores é uma escolha sua, mas é seu dever conhecer e entender os seus valores e entender os valores alheios, pois sua evolução e amadurecimento dependem dos seus deveres e suas escolhas.

Não enxergue apenas a sua ótica, existem infinitas maneiras de enxergar a vida e entender a maior quantidade possível delas te fortalece suas escolhas pelos seus valores.

CaeGomes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Suas ações comprovam?

Aliada ou Inimiga?

É especial o que considera especial?